O que você fez do nosso amor, meu amor?

Meu amor…

Se lembra a primeira vez que me viu?

Havia tanto desejo e admiração em seus olhos , eu me senti tão insuperável, completa, que eu decidi que precisava ser sua, e ai tudo seria perfeito…

Se lembra como meu jeito desastrado era tudo que você mais gostava, e como você achava gracioso o meu riso solto?

Se lembra como minha liberdade fez você se aprisionar a mim voluntariamente?

E como você conseguiu me convencer que me era indispensável, mesmo quando eu já tinha tudo que precisava?

E eu era tão segura e auto suficiente que precisei de você pra dividir contigo minha liberdade, minha vida, minha história…

Precisei me contaminar de você e te contagiar com tudo que eu era;

Nos somando e nos dividindo…

E era tanto amor, meu amor, que passamos a ser parte da mesma doença;

Tanto amor que subitamente passei a ser a quem você mais se dedicava,um esforço imenso pra me lapidar e me deixar do jeitinho que você queria, e a minha liberdade que era o que você via de mais bonito em mim, passou a ser seu primeiro foco de mudança;

E era tanto amor, meu amor, que você me deu tudo, não por generosidade, mas por egoísmo,

me aprisionando a você através de gratidão;

E todas as coisas que você me deu passaram a ser um fardo.

E era tanto amor, meu amor, que você tentou me convencer que as futilidades eram essenciais, assim, só por capricho, só porque você achava ideal que fosse tudo do seu jeito;

Me fazendo acreditar ser nada ,pra que te enxergasse como meu tudo;

E era tanto amor, meu amor, que você quis dividir comigo toda sua insatisfação, sua infelicidade, sua apatia, sua falta de perspectiva de futuro;

E era tanto amor, meu amor, que meu riso, que outrora você amou, virou o principal motivo da sua irritação;

Tanto amor que nos tornamos iguais até em nossa melancolia e infelicidade;

Emmanuelle-Seigner-Bitter-Moon-2-620x400

Tanto amor que você decidiu que era ideal me controlar só pra mostrar quem é que mandava em quem;

Tanto amor, meu amor, que passou a doer…

Tanto amor que você passou a forjar uma fragilidade apenas pra me derrotar;

E somente contigo longe eu ficava mais perto de mim mesma…

Tanto amor,  que eu precisei te enganar  pra ser fiel ao que eu era;

Tanto amor que eu precisei me alienar do relacionamento pra me manter no relacionamento;

Era tanto amor, que acabou…

E eu precisei partir por te amar;

E por te amar pra sempre é que eu não volto;

E a liberdade me sufoca, e por mais perdida que eu me sinta, não me acharei nos seus braços nunca mais.

E você que me amava tanto, tão violentamente,era tanto amor…

 

E é por ser pra sempre que nos tornamos ilustres desconhecidos…

O que você fez do nosso amor, meu amor?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s