As mulheres que não me representam

images (9)

 

Desde as épocas mais remotas as mulheres são “coisificadas”. Hora são a costela de Adão, hora são meros depositários de esperma, hora são mortas assim que nascem , simplesmente por serem mulheres…

É… inevitavelmente , esses referenciais influenciaram os pensamentos das próprias mulheres, de modo que  é extremamente comum ver mulheres cometendo equívocos atrozes. É extremamente comum, meninas ainda na tenra idade declarando por ai que querem saber de dinheiro, e que desprezam homens que não conseguem bancá-las.

Lembro- me da época, entre conversas de amigas, em que era comum que se gabassem do fato de terem conhecido o homem com o carrão do ano, terem sido levadas para o motel mais caro da cidade, terem sido presenteadas com as futilidades mais caras, oferecendo para isso a  real companhia e sexo. Pras minhas amigas era algo normal, corriqueiro, mas pra mim aqueles costumes soavam como soam pra quem está lendo este texto: Uma espécie de prostituição.

A realidade é que as mulheres reclamam do machismo, pedem direitos iguais, pedem a liberdade para fazerem o que quiserem com seus corpos, mas a realidade é que a grande maioria acaba tropeçando no próprio discurso libertário. Isso porque a mesma mulher que gostaria de ter os mesmos direitos e igual valor, acaba reduzindo a si mesma a uma mercadoria. A mesma mulher que se diz feminista, acaba por transformar a si mesmas em produto de preço baixo.

E depois vão reclamar de machismo…

Pra piorar ainda a situação, não bastassem as mulheres que acham que os homens têm a obrigação de pagar o passeio e o motel, quiçá sustentá-las em suas vaidades e futilidades, ainda contamos com aqueles que adorariam ser mulheres, que optam por copiar as mulheres naquilo que elas têm de mais enojante desprezível e degradante: Ser Interesseiras.

Existe toda uma trupe de mulheres vulgares, que fazem de seus corpos seus maiores trunfos, que  reclamam quando são menosprezadas, diminuídas a uma mera vagina, mas gritam aos quatro cantos que não desperdiçariam a mínima oportunidade de casar por interesse ou de tirar do mais desavisado, todo dinheiro que puder tirar.

Penso eu que entre uma mulher que assume realmente a alcunha de puta e cobra por tais serviços, e uma dessas mocinhas glamourosas que acha que o próprio valor se mede através do dinheiro e dos mimos que recebem, não existe a mínima dúvida  o quanto o primeiro grupo é mais digno.

Por mais conveniente que seja pra nós fazermos vista grossa na hora do passeio em que o cara se dispõe a pagar tudo, cabe àquelas que têm o mínimo de coerência em seu discurso feminista, assumir que assim como somos iguais em direitos, somos iguais em deveres, e uma vez que as mulheres usufruem do passeio e gozam tal como os homens gozam, cabe a nós também, o ônus de nossas escolhas, pois a realidade é que vivemos em um mundo regido pelo dinheiro, e uma vez que aqueles que detém o dinheiro também detém o poder, a cada vez que uma mulher faz vista grossa para sua obrigação de dividir a conta, ela engrossa o coro daqueles que acreditam que mulheres são meros objetos, e pior que isso, se existe um preço a ser pago por essas mulheres, arrisco dizer que os mimos fúteis que andam recebendo de seus clientes, mal pagam a manutenção que elas dispendem pra tornar seus produtos mais vistosos aos olhos do público.

Creio que prostituição, ainda que não declarada, é uma escolha, mas para aquelas que têm o ego gigante demais, e que acreditam que seus corpos têm valor elevado demais pra serem passíveis de preço,a escolha de simplesmente trabalhar pra se bancar, rachar a conta, ou assumir as responsabilidades provenientes do feminismo, é bem mais vantajosa do que a vulgarização de si mesma perante um gênero que nos oprimiu através da história.

Eu digo que aquilo que quero não pode ser comprado, por que é gratuito…

Eu sou livre, eu sou gratuita…

E pergunto a você mulher, assim como eu…Quanto você vale?

Anúncios

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s